segunda-feira, 8 de junho de 2009

Arlindo "da rua" - Rita Menezes


Meio sonolento e de ressaca com aquela mistura estranha de bebida da madrugada, percebeu alguém chamando mas não conseguiu ter forças para responder... O pensamento em mil diferentes coisas, mas com a velocidade da tartaruga só conseguia repousar em pensar no horário da “quentinha”. “Essa comida que não chega!!”. Vagueou seu olhar na rua, já estava na hora... “Que atraso é esse? Eu já estou com a barriga colando!”... Futucou seus pertences e tirou uma bituca de cigarro da noite anterior... acendeu... pensou no tempo que podia comprar um maço... Depois que começou a ser perseguido, correr perigo... fugiu e nunca mais voltou pra casa... Nem lembrava mais onde morava... “Ai, ai essa vontade de mijar! Mas é só eu sair daqui a quentinha chega!”... pensou irritado... Vinte minutos depois a van pára... “Que bom que ela veio”.

- Seu Arlindo, Boa tarde, tá aqui sua quentinha – Disse a senhora.
- Obrigado Dona Rita – Pegou apressadamente.
- E o senhor como vai? - Questionou sondando a aparência de Arlindo.
- Tudo bem... Só esses meninos que vem fumar pra cá, todo dia eles me aprontam uma – Com a boca cheia de farinha.
- Então tá! Tchauzinho!... Ah! Lembre-se que é o Deputado Geraldo que manda essas quentinhas pra você! – Saiu apressada para a van.

Um comentário:

Flor de Lis disse...

Excelente proposta!
Vicia qualquer um a acompanhar a trajetória de "Os Desconhecidos".