sábado, 18 de julho de 2009

Rita de Cássia Santos Pereira - Romário de Oliveira

Uma “saidinha bancária” e ela estava ali em sua própria casa indefesa sem poder gritar... Agora não era só a vida dela em jogo, mas a de seu filho também... [Maldito fim do mês!]... pensava entre a tentativa de ficar calma pra não assustar mais seu filho... Não tivera dinheiro, então foi forçada a ir em casa pra entregar o que de valor tivesse... não adiantou muito implorar.... Ali estava ela, mãe independente por escolha, sozinha, levando o perigo pra casa... se culpava... Não teve tempo de tentar apaziguar as coisas... Quando a babá voltou, de maneira abrupta e com um soco o assaltante pôs a babá e o pequeno lucas trancados no banheiro... Tudo se dava de maneira silenciosa e as lágrimas não mais escorriam... o desespero a petrificava... a frase - Quero dinheiro ou jóias senão você morre Puta! - já não ecoava por completo em sua mente que cambaleava suplicante por um fim do tormento... o soco acertara seu filho também e a imagem do sangue do rosto do garoto e da babá tapando a boca para que o pior não acontecesse causava uma náusea e uma vertigem que as pernas não haveriam de obedecer... o fim... o fim ela pedia com olhos secos e duros, agora de amargura... Batem na porta... O assaltante coloca-a em frente a porta, a mira e fala baixinho:

- Veja quem é.

Ela abre a porta e reconhece o namorado de sua babá:

- Oi Romário, o que você quer?
- Boa noite Dona Rita, eu vim buscar a Adelaide. Ela está? - Perguntou de forma cínica, sabendo que acabara de sair da casa.

4 comentários:

Ramon Alcântara disse...

TENSÃO!

Romário herói ou cúmplice?

Jardson Fragoso disse...

Qual o teor do cinismo dele? Pois eh grande ramon... bola pra vc... sua veza de dar destino ao destino dos desconhecidos

Adinailson disse...

caralho!...

Ramon Alcântara disse...

Na mira.